O otimismo muda nossa vida!

Sempre falo sobre o assunto nos meus vídeos e nos meus cursos e acho que nunca é demais. Olhar o mundo de forma positiva muda muita coisa. Com tantos afazeres, sem saber como vai ser daqui pra frente, tentar se reinventar, responsabilidades, não tem jeito, a reclamação se torna parte do nosso dia a dia, mas o que não sabemos é o quanto o ato de reclamar e ser negativo pode prejudicar nossa estabilidade física e mental.  Reclamar o tempo todo, achar que tudo não vai dar certo, pode causar patologias sérias como a depressão. Uma pessoa negativa acaba cultivando o hábito de reclamar e isso prejudica não só a saúde física e mental dela, mas também contamina todo o ambiente, desgastando suas relações interpessoais. Se você é uma pessoa pessimista, comece a treinar o seu cérebro para o otimismo. Isso é possível!  O importante é se autoavaliar, mudar a postura diante de situações adversas como a que estamos vivendo hoje. Claro, isso não acontece do dia para a noite, mas precisa ser exercitado diariamente para que haja mudança. Seja uma pessoa otimista, você vai ver que tudo irá fluir na sua vida. Eu também tento me policiar o tempo todo, sei que não está fácil pra ninguém, mas temos que ser otimistas e confiar que tudo vai passar. Grande beijo, Lia Clerot.

Dicas simples para um relacionamento saudável

Um dos temas que mais me pedem para abordar é sobre relacionamento então, fiz esse texto com dicas super interessantes, simples e muito importantes para entendermos como nossos relacionamentos podem se tornar mais saudáveis. Acredito que estamos sempre em busca de crescimento para nos tornarmos pessoas melhores por isso, espero que esse texto sirva como inspiração. Vale a leitura! Tentem algo novo juntos Seja criativo e encontre coisas novas e interessantes para fazerem juntos. Embora isso seja um pouco cansativo, as recompensas valem a pena. Dê preferência por algo que nenhum de vocês já tentou, como uma dança ou um esporte novo. Isso contribui para o relacionamento, a diversão de explorar coisas novas juntos. Essas são as coisas que nós fazemos quando começamos a namorar, as coisas divertidas que nos mantém em um estado de antecipação e relaxamento. Isso é algo que se pode fazer para manter essa sensação de animação e expectativa viva. Lembre-se de rir Humor é uma cura para quase tudo. Mesmo em nossos momentos de desespero, podemos sorrir e rir de algum acontecimento peculiar ou engraçado, ou de alguma memória. Sejam brincalhões, façam coisas para riem juntos, seja assistir um filme ou fazer algo que seja engraçado só para vocês dois. Preencher o relacionamento com risos é maravilhoso para ambos. Cozinhem Quando estamos em um relacionamento novo, o alimento pode se tornar um componente aspirante. O velho ditado de que “o caminho para o coração de um homem é por meio do seu estômago”, tem um pouco de verdade. Todos nós devemos comer para sobreviver e o conforto da cozinha é uma parte da nossa vida cotidiana. Então, seja criativo. Faça aulas de culinária, cozinhem juntos, e cozinhem um para o outro. Essa preparação, esse cuidado, é essencial para o relacionamento. Torne a vida uma aventura

Dez dicas para começar a fazer o que se deseja

Mudar alguns hábitos está ao alcance de todos, mas para isso são necessários dois pontos importantes: primeiro escolher uma mudança que seja coerente com sua escala de valores e segundo, treinar até que se torne um hábito. Sei o quanto é difícil nos adaptarmos a algumas coisas, mas precisamos fazer a mesma coisa por no mínimo 21 dias para que esse ato se torne um hábito. Selecionei algumas dicas para te incentivar a começar o que deseja, seja uma dieta, fazer um esporte ou começar a fazer o que você escolheu como hobby. A ideia é que você comece a colocar em prática desejos antigos que nunca teve coragem de começar. 1.     Eleja seu propósito e o transforme em seu projeto. Se você fizer uma lista, se dará conta de que tem muitas inquietações. Mas não podemos mudar ou tentar fazer tudo de uma vez. Esqueça seu cérebro multitarefa e não queira modificar tudo em um instante. Quando conseguir automatizar o primeiro, passe ao segundo. 2.     Reflita sobre sua meta. Se responder as seguintes perguntas em relação ao seu objetivo, seu compromisso com ele aumentará, faça o teste. O que eu quero? Por quê? Para quê? Com quê? O “com quê” refere-se aos seus pontos fortes, valores e atitudes para consegui-lo. Quando enfrentar algo novo, e tendo em vista que isso implica em sair da zona de conforto, é recomendável ter a segurança e a confiança de que está preparado, que tem capacidade e que irá conseguir. Mesmo que seja difícil. 3.     Faça com que ele caiba no seu dia a dia. Não importa o que deseja iniciar, é preciso tempo. Se não abrir um espaço em sua agenda e o transformar em rotina, o normal é que termine postergando o que agora não faz parte de sua vida e mais uma vez,

Por que nos importamos com o que as pessoas pensam?

Nós pensamos o tempo inteiro no que as pessoas vão pensar de nós. Não tem jeito, é natural do ser humano. Estive refletindo sobre isso após ver tantas pessoas nas redes sociais sendo “canceladas” por expressarem uma opinião diferente de alguém, ou de um grupo. Então, resolvi fazer esse texto e compartilhar minha reflexão com vocês. Meio que de forma automática, pensamos na opinião do outro em situações corriqueiras como quando nos vestimos, quando escolhemos uma profissão e até mesmo quando vamos escolher um parceiro para nos relacionarmos. Vamos falar a verdade: é difícil não tomar uma decisão sem levar em consideração o que as outras pessoas vão pensar. Você diz que não se importa, mas no fundo, se importa… e ainda se sente mal, mas não se preocupe: você não está sozinho nessa. Nós nos preocupamos com o que as outras pessoas pensam, desde o início da história da humanidade. Desde os tempos primitivos, os seres humanos têm contado com relacionamentos para sobreviver. Se um homem ou uma mulher foi aceito em uma tribo então, ele ou ela teve uma grande chance de sobreviver. Não importa o quão evoluído somos como espécie, a necessidade de aceitação e aprovação social é um resíduo da nossa função primitiva. E nos dias de hoje temos essa sensação de ter a obrigação de se encaixar nos padrões ditados pelos outros. Esse sentimento de medo, de não ser aceito é a razão pela qual nos sentimos desconfortáveis ao postar algo que a gente realmente gosta, ou vestir uma roupa que achamos legal ou até expor nossa opinião sobre determinado assunto. Fazemos coisas para nos encaixarmos nas normas impostas pelas “tribos”, impostas pelos outros. E o que devemos fazer para melhorar? Tendo uma boa autoestima e tendo a certeza e segurança de quem somos. Não devemos