As 5 linguagens do amor das crianças

Você sabe falar a linguagem de amor do seu filho? Cada criança possui uma linguagem de amor principal e específica, uma maneira pela qual ela compreende melhor o amor do seu pai e da sua mãe. Isso eu li em um dos livros que eu mais gostei sobre criação de filhos. Ele mostra as várias maneiras que você tem de “falar” ao seu filho o quanto o ama, que não seja apenas com palavras. Cada criança é mais sensitiva a uma maneira de demonstração de amor, porque não existe certo e errado, existe a maneira que funciona pra vocês.  Perceba os sinais do seu filho. Qual a maneira que ele mais gosta de receber o seu amor? Muitas vezes, a maneira que ele chama a sua atenção para algumas coisas é só a maneira de dizer que precisa de um pouco mais de amor, não que você não esteja dando, mas da maneira que ele gostaria de receber. 1. TOQUE FÍSICO Abraços e beijos são a maneira mais comum de falar essa linguagem de amor por meio do toque. Mas há também outras maneiras que nem percebemos como jogar a criança para cima, brincar, ler um livro com a criança no colo fazendo carinho em seus cabelos.  Para as crianças que têm essa linguagem de amor como primária, o toque físico comunica o amor mais profundamente do que com as palavras “eu te amo”, por exemplo. 2. PALAVRAS DE AFIRMAÇÃO Palavras de carinho e afeto, palavras de encorajamento, palavras que dão orientação positiva, todas dizem: “Eu me preocupo com você”. Algumas palavras são essenciais para algumas crianças, elas nutrem o senso interno de valor e segurança da criança. As crianças, em especial as que têm essa linguagem como primária, colhem os benefícios dessas palavras de afirmação por toda a vida.

O que fazer para que os seus filhos desenvolvam o sentimento de gratidão?

Oi, meninas. Tudo bem? Hoje quero compartilhar com vocês um assunto muito interessante sobre ensinar as crianças a serem gratas. Sabia que é importante os pais desenvolverem desde cedo esse comportamento nos seus filhos? Existem maneiras que elas podem agradecer e vão aprender a celebrar e apreciar grandes e pequenas bênçãos. Separei algumas dicas do que funciona aqui em casa e espero que vocês gostem! Organize e Doe  Incentive seus filhos a doarem brinquedos e roupas que não são mais usados. Deixe-os saber que algumas coisas que eles não precisam mais, podem ser úteis para outra criança. Eu faço isso sempre com a Lulu e o Pedro e eles adoram esse momento pois além de ajudar ao próximo, estamos também compartilhando momentos mãe e filhos.  Agradeça nas pequenas coisas Muitos pais ensinam seus filhos a dizer obrigado quando recebem um presente, mas se esquecem de ensinar a agradecer pelos favores cotidianos. Seja um exemplo agradecendo seus filhos por pequenos gestos como: pegar um copo d’água, lhe entregar algo que caiu no chão. Gestos rotineiros, que por força do hábito, não damos o devido valor.  Aprecie momentos simples Tire um tempo para apreciar as coisas boas com seus filhos. Use o tempo de viagem no carro como uma oportunidade de compartilhar algo de positivo, talvez, dizendo: “Olhe para as folhas bonitas dessa árvore” ou “não foi divertido fazer esse desenho na aula hoje”? Estas conversas simples incentivam as crianças a contemplarem e apreciarem as bênçãos ao seu redor. Mantenha a gratidão como rotina Uma das maneiras mais práticas para inspirar seus filhos é dando exemplo de gratidão de maneira simples. Você não tem que ser envolvido em grandes projetos o tempo todo. Ensine seus filhos a serem gratos por pequenas coisas e tenha como hábito diário a gratidão.   Grande beijo, Lia Clerot!

5 dicas para ajudar nossos filhos a serem disciplinados

Se você tem filhos, esse post é para você.  Educar uma criança nem sempre é fácil, e muitos pais deixam essa responsabilidade para a escola ou para quem cuida da criança. Pensando nisso, li uma matéria muito interessante num site americano sobre autodisciplina para as crianças. Então, decidi falar sobre o assunto aqui no blog. Espero que te ajude de alguma maneira. 1-     Defina regras firmes As crianças que acreditam que podem fazer qualquer coisa que querem, tendem a fazer birra quando suas exigências não forem atendidas. A criança que compreende que existem limites bem definidos, aprendem a respeitar limites. É seu dever como pai ou mãe impor limites. 2-     Faça-o entender porque tem que seguir regras Você não tem que dar aos seus filhos elaboradas explicações do por quê você espera certos comportamentos deles. Mas se o seu filho entende que há razões simples para suas regras, ele vai ser mais propenso a cumpri-las. Diga-lhe, por exemplo:”Você precisa ir para a cama às 20 horas, porque seu corpo precisa de uma grande quantidade de sono para ficar forte e saudável.” Ou “Você tem que arrumar os seus brinquedos por que assim vamos saber onde encontrá-los na próxima vez que você quiser jogar.” 3-     Elogie quando fizer o certo Quando seu filho (a) arrumar a cama, ajudar a pôr a mesa, ou deixar o irmão ou irmã brincar com seus brinquedos, certifique-se de reforçar a importância desses gestos como, por exemplo:”É ótimo que você se lembrou de fazer a sua cama. Estou muito orgulhosa de você!” 4-     Siga as regras você mesmo Coloque seu casaco no armário quando chegar em casa, coloque os pratos sujos na pia, não grite quando você estiver frustrado, fazendo essas coisas, você mostra às crianças que, assim como eles têm regras a seguir, você também, e isso faz parte

A importância de se relacionar

Estamos passando por um período tão delicado, mas tudo isso serve como aprendizado, e uma das coisas que eu pude refletir bastante durante esse tempo é sobre a importância de estarmos ao lado das pessoas que amamos. Nós, como seres humanos, somos sociais, gostamos de interagir com as pessoas, tanto quanto pudermos, mas a falta de “tempo” sempre nos afasta, e o tempo no celular acaba tendo mais importância para nós. E com esse isolamento, pudemos perceber a importância de nos conectarmos tanto com a nossa família, quanto com os nossos amigos, mesmo que por vídeoconferência. E por que não valorizar, também, esses momentos pós caos? Valorize sua família, ela é parte de quem você é. Então, quando tudo isso passar, por que não dedicar mais tempo de qualidade com eles todos os dias? Valorize os seus amigos, aqueles que você pode contar para tudo, vamos parar com o “a gente combina” e vamos realmente combinar. A vida é um sopro, hoje estamos aqui e amanhã podemos não estar. Aproveite cada momento precioso, valorize as pequenas coisas. Grande beijo, Lia Clerot.