O otimismo muda nossa vida!

Sempre falo sobre o assunto nos meus vídeos e nos meus cursos e acho que nunca é demais. Olhar o mundo de forma positiva muda muita coisa. Com tantos afazeres, sem saber como vai ser daqui pra frente, tentar se reinventar, responsabilidades, não tem jeito, a reclamação se torna parte do nosso dia a dia, mas o que não sabemos é o quanto o ato de reclamar e ser negativo pode prejudicar nossa estabilidade física e mental.  Reclamar o tempo todo, achar que tudo não vai dar certo, pode causar patologias sérias como a depressão. Uma pessoa negativa acaba cultivando o hábito de reclamar e isso prejudica não só a saúde física e mental dela, mas também contamina todo o ambiente, desgastando suas relações interpessoais. Se você é uma pessoa pessimista, comece a treinar o seu cérebro para o otimismo. Isso é possível!  O importante é se autoavaliar, mudar a postura diante de situações adversas como a que estamos vivendo hoje. Claro, isso não acontece do dia para a noite, mas precisa ser exercitado diariamente para que haja mudança. Seja uma pessoa otimista, você vai ver que tudo irá fluir na sua vida. Eu também tento me policiar o tempo todo, sei que não está fácil pra ninguém, mas temos que ser otimistas e confiar que tudo vai passar. Grande beijo, Lia Clerot.

Por que nos importamos com o que as pessoas pensam?

Nós pensamos o tempo inteiro no que as pessoas vão pensar de nós. Não tem jeito, é natural do ser humano. Estive refletindo sobre isso após ver tantas pessoas nas redes sociais sendo “canceladas” por expressarem uma opinião diferente de alguém, ou de um grupo. Então, resolvi fazer esse texto e compartilhar minha reflexão com vocês. Meio que de forma automática, pensamos na opinião do outro em situações corriqueiras como quando nos vestimos, quando escolhemos uma profissão e até mesmo quando vamos escolher um parceiro para nos relacionarmos. Vamos falar a verdade: é difícil não tomar uma decisão sem levar em consideração o que as outras pessoas vão pensar. Você diz que não se importa, mas no fundo, se importa… e ainda se sente mal, mas não se preocupe: você não está sozinho nessa. Nós nos preocupamos com o que as outras pessoas pensam, desde o início da história da humanidade. Desde os tempos primitivos, os seres humanos têm contado com relacionamentos para sobreviver. Se um homem ou uma mulher foi aceito em uma tribo então, ele ou ela teve uma grande chance de sobreviver. Não importa o quão evoluído somos como espécie, a necessidade de aceitação e aprovação social é um resíduo da nossa função primitiva. E nos dias de hoje temos essa sensação de ter a obrigação de se encaixar nos padrões ditados pelos outros. Esse sentimento de medo, de não ser aceito é a razão pela qual nos sentimos desconfortáveis ao postar algo que a gente realmente gosta, ou vestir uma roupa que achamos legal ou até expor nossa opinião sobre determinado assunto. Fazemos coisas para nos encaixarmos nas normas impostas pelas “tribos”, impostas pelos outros. E o que devemos fazer para melhorar? Tendo uma boa autoestima e tendo a certeza e segurança de quem somos. Não devemos

Você sabe qual a sua missão aqui na terra?

Qual é a sua missão, qual é o seu legado, quais são seus objetivos de vida? O que você tem feito para alcançar esses objetivos? Tem feito planos e traçado metas ou está vivendo apenas de sonhos? Muitos têm inúmeros desejos, mas desconhecem sua principal missão: servir a Deus, ter o Senhor lhes direcionando e mostrando o caminho a seguir em todas as situações e áreas da vida, porque tudo tem passado rapidamente e precisamos ter essa missão bem definida em nossos corações para que não percamos as oportunidades de desfrutar o melhor que Deus tem para nós.  Quando temos a satisfação de ter uma missão realizada, temos um sentimento de felicidade completa. A realização da missão gera uma satisfação e felicidade interior que energiza e motiva nossa existência, contagiando a todos que estão à nossa volta. Assim, quando acordamos de manhã e oramos, lemos a Palavra de Deus e profetizamos Sua presença sobre nós, temos a certeza que será um dia espetacular, feliz, realizado e abençoado, pois nós atraímos aquilo que cremos e pensamos. Se queremos ter sucesso e acreditamos nisso, atrairemos o sucesso. Entretanto, se acreditamos e pensamos no fracasso, também o atrairemos a nós. Quais são as circunstâncias da vida que lhe fazem extremamente feliz? Você está pronto para enfrentar os obstáculos necessários e se esforçar para alcançar a felicidade? É a Lei da Semeadura: precisamos primeiramente plantar para só depois colher. É tirar tudo aquilo que é velho, que está tomando espaço em nós para que venha algo novo. O segredo para ser feliz é viver todos os dias sabendo que Deus nos ama incondicionalmente e cumprir a missão que ele nos deu. E se você ainda não sabe qual é o seu propósito de vida, converse com Deus, peça para ele te mostrar. Reflita sobre isso,

Você é feliz com a sua vida?

Hoje, quero falar sobre a falta de contentamento, da falta de felicidade com aquilo que você tem, com aquilo que você é como mulher e como pessoa. E se pararmos para observar a história de Eva, vemos que ela também sofreu com esse mal. Ela tinha todo o paraíso, mas começou a ter dúvidas de sua felicidade e foi quando o inimigo veio e perguntou a ela: “Por que você não pode comer do fruto dessa árvore?”. Será que Eva sentia falta de não ter aquela árvore?  Ou será que a dúvida que a serpente colocou em sua cabeça despertou nela um sentimento como: “Nossa, nunca tinha pensando sobre isso”. Com a pergunta do inimigo, Eva começou a pensar que ela não era feliz com a vida que tinha. Que ao invés dela celebrar, se alegrar com todo o paraíso, ela só ficava pensando no que não tinha e, muitas vezes, nós mulheres somos assim. Ao invés de agradecermos pela vida, pelo que somos, pela nossa casa, ficamos pensando naquilo que não temos. Em Gênesis 3, quando a serpente chega e traz a dúvida para a Eva, ela começa a ficar mais preocupada com a ausência do que com a presença. Será que você tem andado mais preocupada com a ausência do que com a presença? Será que você tem ficado muito mais preocupada com o carro, com a casa, marido, filho do jeito que você gostaria, ao invés de agradecer as qualidades que eles possuem? Quando nosso foco está naquilo que nos falta, nos tornamos pessoas infelizes, desapontadas, com medo. Quanto mais focarmos no não ter, menos teremos. Precisamos mudar a nossa maneira de pensar. Comece a celebrar aquilo que você tem, agradeça a Deus pela sua vida, pela sua saúde, pelo seu marido, seus filhos, sua família, seus amigos, seu